fbpx

Blog da Inove Sua Obra

Acesse materiais inovadores: "Como Assentar Piso" até vídeos de clientes satisfeitos sobre nivelador de piso, porcelanato, amarração de ferro, entre outros conteúdos de alto valor.

Instalação de piso vinílico: saiba como fazer

A instalação de piso vinílico é bastante simples, ainda mais quando se está munido dos produtos e ferramentas certas. O ponto mais importante do trabalho é o nivelamento da base – a qual requer um produto especial para isso.

Esse tipo de piso é utilizado desde o século XX. Sua alta resistência, beleza e versatilidade fazem dele a melhor escolha para quase todas as ocasiões. É por isso que ele ganha cada dia mais espaço no mercado.

Neste conteúdo vamos falar tudo sobre o piso vinílico, desde suas origens até a forma mais adequada de aplicá-lo. Vamos lá!

De que é feito o piso vinílico?

O piso vinílico é composto de PVC, um material com diversas vantagens de uso, que só foi feito em larga escala no início do século XX.

As pessoas costumam pensar que esse piso leva borracha na mistura – devido a seu aspecto “emborrachado”. Porém, essa afirmação está errada: a borracha não faz parte da composição deste material.

Em suma, ele é formado de PVC com outros elementos, tais como plastificantes, aditivos, minerais e pigmentos. Aliás, a composição do piso é muito importante, podendo torná-lo mais resistente, por exemplo.

Quais tipos existem no mercado?

Atualmente existem 2 tipos de piso vinílico no mercado, sendo eles:

  • Piso Vinílico Homogêneo: esse piso é feito em massa única, e tem como principal vantagem sua resistência ao desgaste, mesmo que prolongado.
  • Piso Vinílico Heterogêneo: esse tipo é composto de 4 camadas, sendo elas uma base compacta, logo em seguida uma fibra de vidro, seguida pelo desenho e, por fim, o piso em si. A última camada leva o nome de “camada de desgaste”.

Quanto aos formatos, existem 3:

  • Manta: esse é o formato mais barato, o qual costuma vir em rolos. A recomendação é usá-lo em ambientes amplos, como em corredores. Porém, tem a desvantagem de ser menos resistente que os outros dois modelos. Pode ser rasgado e danificado com facilidade.
  • Placas: nesse formato, o piso vem em placas quadradas, possuindo, em alguns casos, um sistema de encaixe. Ele é bastante resistente, mas costuma ser um pouco mais caro que os demais.
  • Régua: em geral, esse tipo é mais flexível que as placas, sendo, então, mais resistente. Possui um acabamento bastante sofisticado, além de uma diversidade de texturas e cores. É ideal para casas, escritórios e ambientes pequenos.

Quando o piso vinílico surgiu?

A Europa usava revestimentos em linóleo, que foi muito empregado até o fim do século XIX. Todavia, houveram restrições quanto ao uso dos constituintes desse material, e as indústrias tiveram que elaborar outro com mesmo desempenho.

No caso, a solução para o problema surgiu com polímeros sintéticos, descoberta feita por Eugen Baumann em 1872. Você pode encontrar o nome do material como policloreto de vinila ou policloreto de vinil; este último é o PVC que conhecemos hoje.

A grande vantagem desse material está nas suas últimas etapas de produção: é nesse momento que podemos acrescentar aditivos, formando materiais com qualidades únicas.

Como instalar piso vinílico com maestria?

A instalação de piso vinílico é tida como “simples”, mas isso não é sempre verdade. Afinal, o “simples” só é válido quando falamos em profissionais que têm experiência na função – caso contrário, pode ser um desafio.

Para proceder com a instalação, basta seguir estes passos:

  1. Mensure a quantidade necessária de piso. 
  2. Limpe bem a superfície . 
  3. Passe um autonivelante. 
  4. Encontre o centro do cômodo. 
  5. Disponha a cola pelo piso nivelado. 
  6. Aloque as placas do piso vinílico.

Aproveite para ler alguns comentários sobre cada um deles, nas próximas seções.

Mensure a quantidade necessária de piso

O primeiro passo é mensurar a quantidade de piso que será usada no cômodo. No caso, basta multiplicar a largura pela profundidade do cômodo, encontrando, assim, sua área.

Só para exemplificar, um cômodo com 5 metros de largura e 7 de profundidade tem exatamente 35 m² de área. No entanto, evite comprar apenas esse valor de piso: sempre deixe uma margem de 10% a mais. Nessa situação, compre cerca de 40 m².

Passe um autonivelante

Um dos requisitos para uma aplicação profissional é, justamente, o nivelamento do piso. Acredite: por mais que seus sentidos estejam falando que a base está nivelada, é muito provável que não esteja.

Se você aplicar a cola e dispor o piso sem nivelar antes, com certeza ficará evidente o desnível – por menor que ele seja. Portanto, é recomendado (e essencial) usar um autonivelante antes de continuar.

O melhor do mercado, sem nenhuma dúvida, é o Autonivelante Base da Protec e outros da mesma linha.

Lembre que antes de aplicar o autonivelante é necessário utilizar um primer. Assim, recomendamos o Primer 516 da Protec.

Limpe bem a superfície 

Uma coisa que poucas pessoas sabem sobre a instalação de piso vinílico é que você pode aplicar esse piso sobre quase qualquer superfície. No entanto, ela precisa estar isenta de impurezas, como gordura, poeira e outros contaminantes.

Se você for aplicar sobre um piso, vale a pena limpá-lo bem antes de prosseguir com o procedimento.

Encontre o centro do cômodo

Após nivelar a base, vamos prosseguir com a instalação do piso vinílico encontrando o centro do cômodo. No caso, essa informação vai servir para simplificar o processo de disposição dos pisos, dado que será feito metade por vez.

Disponha a cola pelo piso nivelado

A cola servirá como um fixador entre o piso e a base. Portanto, é fundamental escolher um produto de alta qualidade, garantindo que a aplicação será permanente – evitando descolar com o tempo, assim como demais efeitos colaterais de um produto de baixa qualidade.

O ideal é utilizar uma cola específica para instalação de piso viníco, como a Cola para Piso Vinílico da Smartgum.

A aplicação precisa ser uniforme pela base, evitando excessos ao longo da área-alvo. É recomendado usar uma desempenadeira com bordas serrilhadas para melhor execução dos movimentos.

Aloque as placas do piso vinílico

Por fim, deve-se alocar as placas (ou réguas) do centro até as paredes. No entanto, é fundamental dar marteladas de leve no piso após alocado, uma peça por vez. Com um martelo de ponta mole, coloque a placa e dê pequenas marteladas em sua extensão.

Essa ação permite maior contato entre a cola e o piso, aumentando a aderência e a fixação do mesmo.

Por que optar por um autonivelante?

Se você está em dúvida quanto a usar um autonivelante, vamos te ajudar a solucionar esse problema nesta seção.

Em resumo, o autonivelante é muito melhor que o sistema convencional pois requer menos trabalho, ficando pronto mais rapidamente. No caso, não há necessidade de lixar, assim como o tempo de aplicação cai de dias para horas.

Além disso, a mistura de cola PVA e cimento requer um certo esforço logístico para ser usada na obra – ao contrário do autonivelante. Aliás, a qualidade do material feito na obra não passa por rigoroso controle de qualidade, como no caso dos autonivelantes.

Apenas esses motivos são mais que suficientes para investir em um produto de qualidade.

Quais são os principais erros na instalação de piso vinílico?

Embora a instalação de piso vinílico seja considerada “fácil”, o resultado final pode não agradar devido a diversos erros. Em resumo, os principais são os seguintes:

  • Esquecer de preparar o local de instalação. 
  • Modelo de piso incorreto. 
  • Cômodo inadequado para esse tipo de piso.

Vamos comentar um pouco sobre eles, nas próximas seções!

Esquecer de preparar o local de instalação

Está certo que o piso vinílico funciona na maioria das bases. No entanto, se você aplicá-lo sobre pisos, por exemplo, é essencial ter certeza de que a superfície está apta para receber vinílico.

Um dos maiores erros, portanto, é pular esse passo e seguir direto para a cola e instalação do piso. Isso vai resultar em um acabamento ruim, que certamente terá que ser refeito em um futuro próximo.

Modelo de piso incorreto

Existem várias configurações desse piso no mercado, cada uma delas foi projetada para uma situação específica. Ou seja, temos pisos vinílicos para escritórios, corredores, quartos residenciais e assim por diante.

O primeiro erro tem a ver com a estética. Se o formato e cor do piso forem incorretos, sem dúvida o resultado final não vai agradar. Da mesma forma, se a “classe” do piso não for adequada ao local, ele pode estragar com facilidades – ou superfaturar a obra.

Por isso vale a pena estudar o local de aplicação, assim como os modelos disponíveis de piso.

Cômodo inadequado para esse tipo de piso

Em geral, o vinílico é um material muito bom para ambientes internos, mas pouco recomendado para áreas externas. Locais úmidos ou com muita luz solar podem estragar o trabalho da instalação.

A umidade tende a descolar o piso, enquanto o sol acelera o desbotamento do material.

Além disso, jamais coloque esse piso sobre uma base que pode se mover. Isso pode causar diversos problemas no piso vinílico – por isso a madeira e a ardósia não são recomendadas como bases.

Por que escolher o piso vinílico para sua obra?

Até o momento falamos de como o piso vinílico é bom para sua obra. No entanto, não demos uma lista de vantagens desse piso, não é verdade? Nesta seção vamos explicar os motivos de diversas pessoas escolherem esse material, ao invés dos convencionais.

Em linhas gerais, as vantagens são as seguintes:

  • Conforto térmico e acústico. 
  • Ampla opção de cores e formatos. 
  • Alta durabilidade. 
  • É fácil de limpar. 
  • Pode ser aplicado sobre seu piso.

Vamos aos detalhes!

Conforto térmico e acústico

Por ser um material maleável, ele fornece um amortecimento mecânico natural – diferente dos pisos rígidos, e seu famoso “toc toc” de sapatos. Isso impede reclamações dos vizinhos do prédio, já que pouco som atravessa o solo.

Além disso, estamos falando de um material plástico, que tem grande resistência na hora de transmitir energia – de qualquer natureza. Ou seja, ele vai aumentar tanto o isolamento acústico quanto o térmico de sua residência.

Então, vai ser mais difícil ouvir os ruídos de seus vizinhos também.

E falando ainda de conforto térmico, deixa o ambiente mais “quente” e aconchegante, diferente dos pisos cerâmicos e porcelanatos, que são frios.

Ampla opção de cores e formatos

Como foi dito lá no início deste conteúdo, o material do qual esse piso é feito apresenta grande versatilidade. Isso significa que ele pode ser encontrado em diversas cores e formatos.

Da mesma forma, é possível escolher a finalidade do material, o qual se adequa a uma grande gama de aplicações. Ou seja, existe piso vinílico para todos os gostos e necessidades.

Alta durabilidade

A alta durabilidade também é outra vantagem muito interessante. Como se trata de um material PVC, ele é, por natureza, bastante resistente à temperatura e umidade moderadas. Ou seja, embora apresente certa flacidez, ele é sim muito resistente.

Ao contrário das tábuas de madeira, por exemplo, não é um material que vai estragar por causa de um pouco de umidade. Aliás, ele resiste muito bem a temperaturas, sem a empenação comum da madeira, assim como também pode ser molhado que não vai estufar. Porém, não é recomendado ficar submerso, somente molhar moderadamente.

Se a “classe” estiver de acordo com os trabalhos desempenhados no local, sem dúvidas ele vai durar muito tempo.

É fácil de limpar

Os pisos convencionais, por terem divisórias, tendem a ser mais difíceis de limpar. Dessa forma, é necessário mais trabalho para deixar a casa limpa – e raramente tira-se toda a sujeira do local.

Porém, não há esse problema, quando falamos em vinílicos. Aliás, apenas um pano úmido é mais que suficiente para deixá-lo limpinho. Às vezes há indicações do fabricante quanto à limpeza, mas nada muito trabalhoso.

Pode ser aplicado sobre o piso

Por fim, como discutimos ao longo deste material, a instalação de piso vinílico é bastante simples, podendo até mesmo ser aplicado sobre o piso atual. Ou seja, ter todos os benefícios desse piso é muito fácil, e nem requer o temido “quebra-quebra” das obras.

No caso, basta proceder da maneira como foi explicado nas seções anteriores, tomando cuidado principalmente com o nivelamento da base.

Essa aplicação descomplicada é boa para estabelecimentos comerciais. Afinal, a mudança no piso é feita rapidamente, comprometendo o mínimo possível as operações comerciais do estabelecimento.

É provável que vejamos cada dia mais clientes pedindo pela instalação de piso vinílico em suas residências. Agora que você sabe como fazê-lo, com certeza vai se destacar dos demais profissionais do mercado!


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: